Girl Power nas Olimpíadas

A gente sabe que nessas Olimpíadas o machismo ainda insistiu em se manifestar tanto no Brasil quanto por esse mundão a fora. O bom é o a galera não deixa barato. Veja alguns comentários abaixo e os tweets.

Oi? E a menção ao abandono do pai? Ou foi só a mãe que abandonou?

A mana bate recorde, ganha medalha e o marido que é o responsável, de acordo com o comentarista da NBC. Repito: oi?

Mas, apesar dessa miopia social que estamos aos poucos combatendo, a gente viu muito brilho da mulherada. A "lacração" começou na cerimônia de abertura dos jogos. Além de linda, sofisticada e cheio de significado, a abertura contou com Mc Soffia e Karol Conka e sua música poderosa sobre empoderamento feminino.

A Rafaela Silva superou um começo de vida difícil na Cidade de Deus, foi duramente criticada e insultada por sua performance em Londres em 2012 e mesmo assim conquistou o primeiro ouro Brasileiro nos jogos do Rio. Sambou na cara da sociedade.

A Joanna Maranhão não chegou ao pódio e, como Rafaela em 2012, sofreu todo tipo de xingamento racista e insulto na internet. Ela brilhou ao se comprometer a processar quem a ofendeu na internet. Sabe porque ela brilhou? Por que racismo é CRIME, Brasil. Espero que ela siga a diante com essa promessa ainda porque ela vai reverter todo din din arrecadado para uma boa causa - o combate à pedofilia.

Se você quiser ver mais atletas brilhando, dá uma olhada no apanhado que o Think Olga fez através do Olga Esporte Clube.

Para finalizar (só para eu parar de escrever, e não por que não haja outros exemplos incríveis), temos as guerreiras do nosso futebol feminino que ontem jogaram com corpo e alma mas não conseguiram seguir para final que, na minha opinião, era mais do que merecida.

Foto: Ricardo Stuckert

Foto: Ricardo Stuckert

A triste realidade é que atletas mulheres continuam ganhando menos que jogadores masculinos, mesmo nos casos em que elas tem uma performance superior, como é o caso da Marta comparada ao Neymar. Mas com a garra que as mulheres tem mostrado no esporte, acho que esse quadro vai se revertendo aos poucos à medida que elas vão recebendo mais reconhecimento e atenção, que levará à mais patrocínios e cobertura de mídia.

Pra mim fica a inspiração que são essas mulheres que superam tantas dificuldades e conseguem mostrar com cada passo e cada conquista que um mundo diferente não só é possível mas já é real. E também fica a importância de cada um nós defender cada injustiça que vemos, seja com um tweet, uma conversa no bar ou até mesmo um post num blog.