Amor na prateleira - Los Angeles

À caminho de São Francisco, numa viagem recente, fiz uma escala de 8 horas em Los Angeles antes de chegar no meu destino final. Fui indicada a ir direto para Abbot Kiney - uma rua hypada no delicioso bairro de Venice Beach.

Cheguei cedinho de manhã, com as lojas todas fechadas, atletas de final de semana saindo pra pedalada matinal e alguns madrugadeiros e ioguis correndo pra tomar o primeiro copo de café orgânico, da rede de comércio justo, cultivado por mulheres empoderadas em algum país cujo nome ninguém conhece. Logo me senti em casa.

A rua é cheia de lojinhas autênticas que misturam o moderno com o vintage, cheia de restaurantes e cafés que só servem o que tem de mais saudável naquele momento.

Uma das lojas que visitei foi o coffee shop da Tom's. Tom's é um dos exemplos mais citados hoje quando se pensa em um novo jeito de fazer negócios, que visa não só o lucro mas também deixar o mundo um pouquinho melhor. Tom's começou vendendo sapatos - a cada um que você comprava, eles davam um par para uma criança que precisasse em algum lugar do mundo, acreditando que estar calçado traz dignidade para uma criança. Afinal, não se pode entrar numa escola descalço. Tom's migrou para óculos - no mesmo esquema buy one give one e mais recentemente começaram a vender café - do tipo que eu mencionei no segundo parágrafo. A compra de cada pacote de café resulta no fornecimento de 140 litros de água para uma família em alguma região de cultivo de café.

Ta rolando, há algum tempo já, uma febre de tatuagens temporárias. As primeiras que eu comprei foram da Tattly, projeto paralelo da SwissMiss, que designer suiça irradicada em NY que eu amo. E numa loja hippie em Abbot Kinney achei uma variação temática e conceitual dessas tatuagens. Cada pacotinho tinha um kit com tattoos sobre presença, amor e empoderamento.

Fora todas as variações clássicas do tema amor - bonés, gravuras e marcas de roupa. Ta, a roda da fortuna na frente de uma loja de tabaco não é bem um clássico, mas entrou no pacote.